RFID no Controle Patrimonial

Um sistema de controle de patrimônio RFID básico compõe-se de: Etiqueta de patrimônio RFID: Tag , RF tag ou “Transponder” que é basicamente composto por: chip, antena conectado ao chip, e material para fazer o encapsulamento do chip e da antena. Antena ou Leitor móvel com antena: Emite sinal de rádio para ativar o Tag, ou seja ler e escrever dependendo do tipo de tag. Sistema de controle patrimonial: Onde serão processadas as atualizações referentes a movimentações dos bens capturados pela antena ou leitora móvel com antena.

 

Etiqueta de patrimônio RFID (RF tag ou etiqueta RFID)

Uma etiqueta de patrimônio RFID basicamente é o chip e antena que podem ser encapsulados em diversos formatos e materiais como: plástico, tecido, madeira, couro, vidro, epóxi, etc, de forma a assegurar a total proteção ao chip ao mesmo tempo que assegura a integridade da aplicação para a qual foi projetado: ambientes limpos até ambientes hostis, altas temperaturas, ambientes úmidos, produtos corrosivos, etc.

O principal componente de uma etiqueta de patrimônio RFID é o “chip” que possui uma memória onde são armazenados os dados, que são enviados ao leitor quando o chip for ativado pelo campo eletromagnético do leitor.

Nota: Muitas empresas que estão implantando a tecnologia de RFID para o controle do ativo imobilizado estão optando por etiquetas (Tags) na qual no seu encapsulamento é gravado também o código de barras, sendo possível dessa forma aproveitar o legado da tecnologia anterior e utilizar as duas tecnologias.

Distância de leitura (Read Range) e sua importância

A que distância do leitor o tag pode ser lido, isto constitui o fator mais importante para o sucesso de uma sistema de controle patrimônio RFID.

Os principais fatores que influenciam a distância da leitura são: tipo de tag (ativa ou passiva), potência do leitor, (freqüência), tamanho da antena, material de encapsulamento, etc.

Existem algumas restrições de ordem técnica: distância de leitura, posicionamento, obstáculo frequência de operação do RFID, etc, para a seleção de etiqueta de patrimônio RFID:

Sob metal: A leitura é possível, porém é necessário que a etiqueta possua um encapsulamento especial para esse tipo de material.

Obstrução: Não ocorre a leitura se tiver um obstáculo (com grande espessura) entre a antena e tag. Obstáculo: madeira, metais, líquidos, corpo humano, etc.

Posicionamento da antena em relação ao tag: Ponto cego, ou seja, existem pontos onde não há captura dependendo do ângulo, distância, obstáculo, etc.

 

Tag em movimento: Velocidade muito elevada combinando com distância e freqüência da leitura (captura) pode ocasionar perda na precisão na leitura.